Apresentação

Este blog destina-se a registrar a memória do pastor Gerson Barbosa de Menezes, pregador entre os anos de 1960 a 2000, portanto, 40 anos de ministério no Brasil, especialmente na Região Nordeste. O conteúdo a ser desenvolvido e os documentos a serem exibidos são de responsabilidade da família Menezes em Campina Grande, Paraíba.
Grato pela visita.

Biografia

Gerson Barbosa de Menezes era natural de Campina Grande, Paraíba. Nasceu em 1925, filho de José Barbosa de Menezes e Cezarina Barbosa de Oliveira. Seu pai foi comerciante do setor de ferragens, louças e material elétrico, tendo criado as Casas Menezes, importante referência comercial dos anos 40 e 50 em Campina Grande. Seu Zeca Barbosa, como era conhecido seu pai, era presbítero da Igreja Congregacional e uma pessoa bem relacionada na sociedade campinense. Dona Ceza, como era conhecida sua mãe, era uma artesã e modista, apesar de suas dificuldades físicas agravadas pelo reumatismo. Dona Ceza era uma pessoa comunicativa e alegre e construiu em sua casa um atelier de trabalho que se tornou uma espécie de escola para muitas pessoas que ali iniciaram o aprendizado com a moda feminina. Neste ambiente de trabalho, Gerson concluiu seu curso de Contabilidade e assumiu a gerência do armazém de ferragens. Posteriormente iniciou seu projeto de uma pequena indústria de sabão em barras e de uma refinaria de óleos vegetais. Nasceu assim o sabão Estrela e o óleo vegetal Guaracy, duas marcas que eram produzidas na cidade e comercializadas na Paraíba e em Pernambuco. Seu dinamismo para negócios atraiu o interesse de alguns políticos que o convidaram para ser candidato a vereador. Foi candidato em 1959, tendo assumido, como suplente, o cargo por uma única vez. A política não o fascinou tanto e preferiu dedicar-se aos negócios. Como jovem presbítero da Igreja Congregacional, teve participação ativa nos movimentos da mocidade, além de ter sido regente do coral e colaborador do Pastor João Clímaco Ximenes, grande liderança da denominação Congregacional no Nordeste. Participou de inúmeros eventos e congressos, destacando-se sua presença no Congresso do Terceiro Plenário do Concílio Internacional de Igrejas Cristãs realizado em 1954 na Filadélfia, EUA. Sua dedicação de presbítero o levou a doar o terreno para construção da Segunda Igreja Congregacional de Campina Grande, e porteriormente, já dedicado exclusivamente ao trabalho religioso, construiu a Igreja Evangélica Congregacional do Calvário e a Igreja Evangélica Congregacional do Bairro de Santa Rosa, além do Acampamento Maranata, bastante utilizado para retiros espirituais durante o período de Carnaval nos anos 70 e 80. Sua consagração ao ministério evangelístico teve início durante a visita do evangelista Billy Graham ao Rio de Janeiro em 1960. Ali no estádio do Maracanã, no Congresso da Aliança Batista Mundial, ele reconheceu ter sido chamado para um ministério semelhante no Nordeste, o que se confirmou posteriormente para quase todo o país. Assumiu desse modo seu novo ministério, desfazendo-se de seus empreendimentos, porém mantendo sua estrutura financeira através de rendimentos de imóveis. Ao longo de muitos anos, como missionário evangélico, título que adotou, percorreu diversos estados em campanhas evangelísticas e em séries de pregações em diversas igrejas de diversas denominações: Congregacional, Batista, Presbiteriana, Metodista, Assembléia de Deus, Luterana e outras. Em 1966 ingressou na Associação Evangelística Billy Graham no Brasil e continuou seu ministério dentro de uma estrutura de trabalho mais organizada. Em pouco tempo tornou-se conhecido nacionalmente e passou a receber convites para campanhas evangelísticas na Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Brasília, Pará, Maranhão, Piauí e Ceará, além dos estados da Paraíba e Pernambuco, onde já era bem conhecido. Como missionário evangélico nos anos 60 e 70 tornou-se um nome lembrado por muitas pessoas que se converteram através de suas pregações. Manteve por muitos anos o programa de rádio “Ao Pé da Cruz” em Campina Grande, o qual tinha por finalidade divulgar as Escrituras Sagradas em horário matutino. Em memorável viagem a Israel nos anos 60, tornou-se um grande amigo do povo judeu, e começou a destacar, em suas pregações, a visão profética da criação do novo Estado de Israel e seu significado para a Igreja. Por decisão denominacional tornou-se pastor da Igreja Congregacional do Calvário nos anos 80 e posteriormente pastor da Segunda Igreja Congregacional de Campina Grande.

Seus últimos anos foram de grande integração com a família, em harmonia e serenidade. Sentia o dever cumprido nas palavras de Paulo Apóstolo: Combati o bom combate. Com o corpo fragilizado, mas firme no espírito, partiu em 2001 de um leito do Hospital João XXIII em Campina Grande, sua cidade natal.



15 de mar de 2009

Igreja Congregacional do Calvário

Após um período de muitas viagens evangelísticas pelo país, Gerson Barbosa de Menezes iniciou nos anos 70 um trabalho pastoral no Tabernáculo Evangélico, em terreno doado pelo empresário Walter Correia de Brito, às margens do Açude Velho em Campina Grande. Posteriormente a congregação cresceu e foi transformada em igreja. Nasce, assim, a Igreja Congregacional do Calvário, tendo ele sido eleito seu primeiro pastor e construtor do atual templo.[foto (2009) do arquivo da família] Monumento "Os Tropeiros da Borborema", símbolo da cidade de Campina Grande, situado em frente à Igreja Congregacional do Calvário. [foto (2009) do arquivo da família]

10 de mar de 2009

Igreja Congregacional Central de Campina Grande

Gerson Barbosa de Menezes teve grande participação nesta igreja durante os anos 40,50 e 60, tendo sido consagrado como presbítero no ministério do Rev. João Clímaco Ximenes. [foto (2007) de Bruno Coitinho Araújo]

A Câmera Rolleiflex

Durante muitos anos a Câmera Rolleiflex fez parte da família Menezes. As imagens coloridas do monitor eram transferidas para o filme em preto e branco, registrando os instantes que ficaram em imagens. Minha mãe sempre dizia: Gerson tem mania de fotografia.[foto (2009)de Akasaka - texto: Robert Menezes]

9 de mar de 2009

O Brilho do Sol em Campina Grande

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Salmos 19:1 [foto (2008) do arquivo da família]